23 de abril de 2012

Vidas Inocentes - Parte 38


*** Carolina ***


Já passaram duas semanas, e as coisas continuam na mesma, se não pior. Este fim-de-semana o meu pai vai aos Açores com a Mariana, e apesar de ter cortado relações com o Mário, avisei-o, e disse-lhe para ir dar um beijo á minha irmã.
Vou ter a casa só para mim, e espero ser a oportunidade para mudar tudo com o Daniel.

Pai- Miúda, vou embora. Porta-te com juízo e vê se tomas bem conta da casa.
Carolina- Sim pai está descansado.
Dei-lhe um beijo, e outro á Maria. Foram-se embora.
Comecei a arrumar a casa, a fazer tempo até o Daniel chegar. Este fim-de-semana o Santiago não ia ficar connosco, porque a Sheila queria ir á terra mostrar o menino aos familiares.
Ouvi a porta, e fui até lá.
Carolina- Amor, estamos sozinhos.
E abracei-o. Ele retribuiu o abraço friamente.
A tarde passou-se. Vimos um filme, e ele não se mostrou muito interessado, mas ao menos fez-me companhia. Já era alguma coisa.
Jantámos, e arrumamos a cozinha juntos.
Carolina- Vamos para a cama amor ?
Daniel- Ainda é cedo.
Carolina- Mas queria estar um pouquinho contigo, antes de dormirmos.
Ele percebeu a ideia, e agarrou-me. Beijamos-nos suavemente, e fomos para o quarto.
Fizemos amor, mas sentia a indiferença da parte dele. Como se fosse obrigado. Olhei para o relógio e eram quatro da manhã. Levantei-me cuidadosamente, e fui até á cozinha. Bebi um copo de água, e sentei-me. A nossa relação já tinha dado tudo o que tinha para dar, não valia a pena obrigar-nos a estar na presença um do outro. Ouvi passos, e levantei-me rápido para me ir deitar. Não me apetecia ter nenhum tipo de conversa aquela hora.
Daniel- Carolina, que estás a fazer levantada a estas horas ?
Carolina- Não conseguia dormir.
Fui para o quarto. Ele veio atrás de mim.
Daniel- O que é que te atormenta ?
Carolina- A tua indiferença.
Daniel- Lá estás tu outra vez com macaquinhos nessa cabeça. Isso é falta de dormir, vai descansar.
Carolina- Não me mandes ir dormir, porque é o que tenho feito este tempo todo. Tenho andado a dormir, e tu a fazeres-me de otária.
Daniel- Oh Carolina, mas tu estás a enlouquecer ? Fazemos amor, e depois fazes estas cenas. Eu não te entendo. Tens que pegar por tudo o que eu faço. Se te dou atenção, é porque te dou atenção, se não dou é porque não dou. Diz-me o que queres porque eu não entendo !
Carolina- Quero que me ames, e quero a tua atenção não só por umas horas, mas sempre. Vais para a cama comigo, e já achas que assim me consolas ! Isto não dá mais. Eu pensei que este fim-de-semana sozinhos nos fizesse bem, mas pelos vistos não são as pessoas que nos prejudicam, és tu mesmo ! Tudo mudou desde que o Santiago nasceu, não percebo porquê mas sei que mudou. E tu não imaginas o quanto isto me deixa triste.
Daniel- Não foi o meu filho que fez isto mudar, mas sim as tuas atitudes quanto o outro gajo ! Tu não o esqueceste, estás sempre a pensar nele. Não leio pensamentos mas conheço-te o suficiente para ter a certeza que tu já não me amas, e estás a arranjar desculpas para acabar tudo. Nem acredito que partilhei a cama com uma pessoa como tu.
Carolina- É melhor acabarmos isto a bem. Veste-te, arrumas as coisas básicas, e saí. Desaparece da minha vista, estou farta e cansada. Não vou viver como a minha mãe, presa a alguém que nunca lhe deu o devido valor! SAÍ DAQUI !

Empurrei-o, e devo ter mandado tudo ao ar. Só sei que no dia seguinte acordei no sofá da sala, com a almofada encharcada, talvez de lágrimas, a casa virada de pantanas, e estava sozinha. Completamente sozinha. O pior, ou melhor, é que sentia-me livre. Livre de mais até.

3 comentários:

  1. uuuaau esta cada vez melhor a tua história, posta bem rápido a próxima parte.

    ResponderEliminar
  2. Qd éq acabas a porra da história? Estou ansiosa pelo fim, linda, linda! Continua, princesa. Amo-te muito @

    ResponderEliminar