24 de março de 2012

Vidas Inocentes - Parte 37


*** Carolina ***


Carolina- O que é que estás a querer dizer com isso ?
Daniel- Estou a querer dizer o que disse ! Não sabes como vai ser o amanhã, porque é que planeias uma coisa que pode nem vir a acontecer ?
Carolina- É um sonho. E para os sonhos se concretizarem têm que se lutar para isso.
Ele sentou-se e olhou para mim.
Daniel- E lutas como ? Enrolaste com outros ? É assim a tua luta ?
Carolina- Eu não me enrolei com ninguém Daniel !
Daniel- Sabes uma coisa ? Ficas ridícula a tentar a resolver uma coisa que não têm volta a dar !
Comecei a chorar.
Carolina- Fico ridícula ? Estou aqui a tentar ter uma conversa de adulto para adulto, contigo, mas não dá. E sabes porquê ? Porque tu ainda és uma criança. Precisas de crescer.
Daniel- Essas lágrimas de crocodilo não te levam a lado nenhum! Se quisesses realmente resolver as coisas deixavas de falar com o outro otário. Ele não te é indiferente, tu amas-o.
Começou-se a vestir, e saiu. Ouvi a porta da rua a bater, e não aguentei mais. As lágrimas começaram a correr. A Maria veio ao quarto. Entrou devagarinho, e sentou-se ao meu lado.
Maria- Mana, não chores. Ele vai voltar. Ele até deixou cá o Santiago.
Carolina- Eu sei que ele volta princesa.
Deitamos-nos as duas, e acabamos por adormecer.
Acordei cedo, para dar de comer ao Santiago. Mudei-lhe a fralda, e ele voltou a dormir. Eu não tinha sono. O Daniel não dormiu em casa. Andei de um lado para o outro a tentar distrair-me, e entretanto o meu pai também acordou.
Pai- Então filha, já estás a pé ?
Carolina- Tive que dar de comer ao Santiago, fiquei sem sono.
Pai- Vê lá se resolves as coisas com o Daniel. Ontem ouvi-vos discutir, eu não quero esse ambiente cá em casa Carolina. Eu e a tua mãe nunca discutimos á tua frente para não perturbar o teu crescimentos, e vocês fazem-no á frente da tua irmã.
Carolina- Eu sei, pai. Desculpa.
Ele saiu, e eu comecei a adiantar o almoço. Entretanto chega o Daniel. Fingiu que não me viu, e foi comer cereais.
Carolina- Estou a fazer o almoço.
Daniel- E então ?
Carolina- Se estás a comer, depois não vais ter fome.
Daniel- Também não vou almoçar em casa. Vim só buscar o meu filho.
Parei de meter o arroz no tacho, e encostei-me á bancada da cozinha.
Carolina- Não voltas ?
Daniel- Quando as coisas acalmarem.
Carolina- Por favor Daniel, não me deixes.
Daniel- Carolina...
Parou para pensar no que ia dizer. Talvez para encontrar as palavras certas.
Daniel- isto não está a dar. Eu amo a tua família como se fosse minha, e não quero que eles levem com os nossos problemas. É melhor resolvermos-nos primeiro.
Abracei-o por trás.
Carolina- Fica comigo Daniel.
Ele afastou-me.
Daniel- Pára ! Eu vou ficar, mas pára. Se as coisas não derem, eu vou-me embora e juro que aí não volto mesmo!

5 comentários:

  1. adoro , adoro , adoro . tens tanto jeito (:

    ResponderEliminar
  2. Que estúpido esse gajo -.-
    Continua **

    ResponderEliminar
  3. oh linda eu ando tão em baixo que nem tenho pensado na história. Vou tentar acabar o mais rápido possivel, mas não ando nada entusiasmada

    ResponderEliminar
  4. Acabei agora de ler tudo e estou a adorar :) Continua!

    ResponderEliminar