3 de março de 2012

Vidas Inocentes - Parte 33


*** Carolina ***


Acordei ao 12h, senti-me protegida pelo Mário. Tirei-lhe o braço devagarinho de cima de mim, e tapei-o. Deixei-o dormir. Comecei a fazer as malas, no dia seguinte queria partir depois de almoço, e não queria andar a correr e muito menos esquecer-me de algo. Comecei por arrumar a roupa, e depois os produtos de higiene, apesar de ainda os ir usar.
Mário- Estás a fazer o quê ?
Carolina- As malas. Quero partir amanhã. Dormiste bem ?
Mário- Dormi embrulhado no quente da minha princesa, melhor impossivel.
Sorri-lhe. Andava-lhe a dar esperanças a mais.
Mário- Carolina, não achas que é melhor ficares mais uns dias ? Sei lá. Ligar para lá, tentares falar com ele. Se não desse para falar com ele, devias dar-lhe espaço.
Carolina- Não consigo. Estou a morrer de saudades.
Mário- Dele, ou da tua família ?
Carolina- Da minha família, mas dele também.
Mário- Tu estás é com ansiedade. Não sabes como estão as coisas, nem o que ele está a pensar.
Parei de arrumar, e olhei para ele. Num ápice, dirigi-me ao quarto e peguei no telemóvel. O Mário estava comigo.
Mário- Posso ficar, ou preferes que vá para a sala ?
Carolina- Podes ficar.
Liguei para o telemóvel do meu pai.

Pai- Filha ! Como estás ? Já nem dás noticias.
Carolina- Pai, o Daniel têm me desligado o telemóvel, e eu nunca sei quando estás em casa. Mas estou bem, não tens com que te preocupar.
Pai- Têm-te desligado o telemóvel ? Mas ele diz-me todos os dias que fala contigo, e que está tudo a correr bem.
Carolina- Bem, não interessa. Deixa-me falar com a Maria.
Pai- Vou chama-la. Beijos.
Esperei um pouco, e ouvi os passos apressados dela. Era sempre tão bruta a andar.

Maria- Manaaaaaaaa !
Carolina- Olá princesa.
Maria- Mana, quando vens ? Tenho muitas saudades tuas,e o Daniel já não sabe contar histórias.
Mandei uma gargalhada.
Carolina- Ainda não sei pequena. Talvez amanhã, ou depois. Andaste a portar bem ?
Maria- Sabes que sou uma menina bem comportada, e tu mana ?
Carolina- Eu também. O Mário anda a tomar conta de mim.
Maria- Mandas um beijinho meu ao Mário ?
Carolina- Mando princesa. Agora chamas-me o Daniel ?
Ela ficou em silêncio muito tempo.
Maria- Ele está a dormir mana.
Carolina- E porque é que me parece que estás a mentir ?
Maria- Oh mana...
Carolina- Passa-lhe Maria.
Ficou-se muito tempo sem se ouvir nada. Não desliguei. Nem ia desligar sem falar com ele primeiro.

Daniel- Diz.
Carolina- Olha primeiro, vais parar de dizer á minha irmã para mentir. Não quero que ela seja uma grande mentirosa !
Daniel- Como a irmã ? Pois tens razão, ninguém quer que ela acabe como tu.
Carolina- Deixa de ser mal-educado. Nunca te menti. Vamos falar como duas pessoas normais ?
Daniel- Eu não tenho nada para te dizer.
Carolina- Tu não tens, mas eu tenho.
Daniel- vais-me anunciar o teu casamento ?
Carolina- Deixa de ser infantil. O Mário é meu amigo. Está-me a apoiar neste momento como ninguém. E tu mesmo não estando aqui, devias fazer o mesmo!
O Mário tira-me o telemóvel da mão á força, e começa a falar.
Mário- Ouve lá meu, mas tu és parvo ? Devias era valorizar a mulher que tens ao teu lado. Porque por mim, já tinha acontecido algo. Mas ela está sempre com a cabeça em ti. E está descansado, que não vai acontecer nada que ela não queira. Aprende mas'é a confiar na tua namorada, de uma vez por todas, e percebe que ela neste momento, precisa é de ti, eu sou só uma mera substituição. Sirvo só para a animar, protege-la e ocupar-lhe a cabeça das mágoas. Cresce, e só depois é que podes dizer que a amas.
E desliga a chamada.

4 comentários: