23 de janeiro de 2012

E quero-te como se fosse a primeira vez...


Continuo a chamar-te de meu, mesmo sabendo que não o és. Não pertences ao meu corpo, mas ao meu coração sim. E não te podes arrancar dele, assim como te arrancaste das minhas mãos. Estou tão cansada dos teus enigmas, dos teus jogos. Das tuas mensagens que admites que tens saudades, e que logo a seguir afirmas que estar comigo é uma missão impossível. Mas porquê ? Se sentes tanta dependência como eu, se sentes o outro lado da tua cama tão frio que impossibilita de teres um sono descansado, porque é que não vens de uma vez por todas ? O que é essa coisa tão forte, que te arranca de mim ? Enigmas... Tu sempre foste um enigma, que eu passava noites a tentar descobrir a solução.

4 comentários:

  1. o que escreveste reflecte tão bem os meus pensamentos

    ResponderEliminar
  2. Olá, parabéns pelo seu blog.
    Te convido a conhecer o meu,
    http://carmasepalavras.blogspot.com/

    ;)

    ResponderEliminar
  3. identifico-me tanto com o teu texto, que lindo *.*

    ResponderEliminar