11 de novembro de 2011

Promises ? not


Não sei o que é certo fazer neste momento, mas acabo por seguir o coração, enquanto gostaria de pensar com a cabeça. Amasso-te entre os meus braços, admiro o teu sorriso, agarro-te a mão com força, faço do teu peito a minha almofada, quando tudo o que eu queria era fazer-te milhões de perguntas. Saber a lógica do nosso relacionamento, o que queres para o amanhã do nosso futuro, quais são os teus objectivos, os teus medos, os sonhos que já realizaste. Sou-te franca, sei muito pouco sobre ti. Mas acho que é isso mesmo que nos dá adrenalina, porque sabemos que no amanhã iremos descobrir mais um bocadinho, ficar de boca aberta por saber que temos muita coisa em comum, enquanto pensávamos que não tínhamos nada. Mas e se acordar no dia seguinte, e tu tiveres cansado de descobertas, eu não te posso apontar o dedo. Porque não houve promessas, a palavra para sempre não foi mencionada, e o "nunca te vou magoar" não nos passou pela cabeça.
Humano tem fraquezas, e se por acaso, amanhã tu te apaixonares, seja ela quem for, vou-te deixar ir, porque afinal tu não me pertences !
Mas confesso, tenho muito medo, deste coração fraco.

10 comentários:

  1. Obrigada!
    Gostei imenso do que escreveste. É bonito pensares assim. Tem calma e deixa acontecer, o futuro vem a seu tempo.

    ResponderEliminar
  2. há momentos em que simplesmente temos de seguir o coração, porque ele consegue trazer-nos a melhor das sensações e a racionalidade fica inconscientemente para trás. Mas não conseguimos usar apenas uma parte do nosso coração e se tudo tiver um fim, vai ser mesmo difícil de suportar..

    ResponderEliminar
  3. Não tenhas medo do teu coração, vais ver que tudo vai correr bem

    ResponderEliminar
  4. obrigada linda, tens de postar mais uma parte da tua história, estou a espera

    ResponderEliminar