24 de outubro de 2011

Vidas Inocentes - Parte 25


***


Daniel- Tu só me julgas, não sabes dar-me uma palavra de apoio. Só pensas em ti, e o resto fica tudo em segundo plano.
Quando estava preparada a abrir a boca, e mandar tudo o que tinha entalado na garganta, a porta do quarto abre-se e aparece a Maria, toda ensonada.

Carolina- Que foi mana ?
Maria- Vocês acordaram-me com os gritos mana.
Daniel- Desculpa princesinha, foi sem intenção. Anda cá.
Pegou nela ao colo, e deitou-se na minha cama. Saí do quarto, e fui para a sala. Estava tudo a voltar ao mesmo, se ele soubesse o quanto estou farta de dramas ele não fazia nada disto. Estou mesmo decidida, vou voltar para os Açores, porque precisamos os dois de nos afastar um do outro. Juntos somos veneno.

Daniel- Saí da janela, está frio, vais-te constipar.
Carolina- Não te preocupes.
Daniel- Anda cá.
Abriu os braços, mesmo prontos para me receber. Fui em passos pequenos e vagarosos, mas acabei por lá cair.
Carolina- Não penses que sou a Maria, que embalas e fica tudo bem.
Daniel- Quando o bebé nascer, quero que o conheças.
Carolina- Está bem.
Daniel- Vai ser tão bonito, como o pai. (Riu-se). Vai chamar-se Santiago.
Carolina- Que nome tão feio.
Daniel- Cala-te tonta, não sabes nada disto.
Carolina- Porque é que discutimos se sabemos que não conseguimos estar chateados um com o outro ?
Daniel- Não sei. Se calhar a chama da nossa paixão é tão grande, que por vezes pega fogo á alma.

Puxou-me para o quarto, e a Maria já não estava lá. Ele já a tinha deitado. Fomos dormir, precisávamos os dois de descansar, e pensar.

5 comentários:

  1. de nada, mais uma parte muito boa, ainda bem que fizeram as pazes ;D, isto é pelo menos para já.

    ResponderEliminar
  2. obrigada princesa :')
    www.haumfuturoparaconstruir.blogspot.com

    ResponderEliminar