2 de setembro de 2011

Vidas Inocentes - Parte 16


***


A semana passou-se, e estava tudo bem. Tudo, menos o Daniel. Sentia cada vez mais ele a fugir-me das mãos, e não percebia o porquê. Pouco ou nada me falava, e quase nem um beijo dávamos. Eu sabia que ele não tinha obrigações comigo, nunca se tinha comprometido com nada, mas fazia uma grande diferença no meu coração. Resolvi falar sobre isso com a Sofia.

Carolina- Sabes o que se passa com o Daniel?
Sofia- Do quê?
Carolina- Ele têm andado estranho comigo. Parece que já não se interessa. Há ali qualquer coisa.
Sofia- Sabes que eu e ele só falamos de coisas boas, também não somos grandes amigos. O melhor é falares com ele.

E talvez era mesmo o melhor. Mas não sabia como, se ele nem se chegava ao pé de mim. Mandei-lhe mensagem.
“ Daniel, precisávamos de falar. Penso que tens andado muito ocupado, então quando tiveres 10 minutos, diz-me. Beijo”
Esperei pela resposta a tarde toda, e ele nada. Procurei-o pela escola mas não o encontrei. Liguei-lhe em privado.

Daniel- Estou, quem fala?
Carolina- Sou eu, a Carolina.
Daniel- Ah desculpa, estou sem mensagens. E hoje não pude ir á escola. Se quiseres aparece agora ao pé da minha casa.
Carolina- Tudo bem. Até já. Beijo.
Não esperei por mais nada, fui imediatamente para lá. Vi-o a sair de casa, lindo como sempre. Chegou ao pé de mim, sorriu, e abraçou-me.

Carolina- Já esperava por este abraço á alguns dias.
Daniel- Desculpa-me, a sério. Já devia ter falado contigo á mais tempo. Desculpa-me princesa.
Carolina- Não faz mal.
Daniel- Faz sim. Tenho uma coisa para te contar, mas acredito que vais ficar chateada. E eu não quero que te afastes.
Carolina- Mas foste tu que te afastaste de mim. Não estou a perceber nada, a sério.
Daniel- Afastei-me só para saber se ainda conseguia viver longe de ti.
Carolina- Mas não te quero longe, quero-te bem perto. Por isso, não precisas de conseguir. Agarrei-o pelo pescoço e beijei-o.
Daniel- Carolina, eu quero-te contar uma coisa muito séria, que acredito que vai mudar tudo. Lembraste quando te disse que não sabia da minha mãe?
Carolina- Sim, lembro-me.
Daniel- Menti-te. A minha mãe é a mãe do David. Ou seja nós somos irmãos gémeos. Gémeos falsos. Quando nós nascemos os meus pais separaram-se. A minha mãe ficou com um, e o meu pai ficou com outro. Por acaso, há uns anos calhei nesta cidade. Numa casa quase ao lado do meu irmão. Com o tempo aproximamo-nos. Estamos sempre juntos. Fora da escola, claro. Temos receio que alguém nos ache parecidos ou assim. É uma vergonha a nossa história.
Carolina- O quê?
Daniel- Carolina, ele está a gostar de ti.
Carolina- E porque é que me estás a dar a ele? Achas que podes escolher por mim? E não achas que se calhar este é o momento de tu seres feliz? Aposto que ele é muito mais feliz que tu, e tu ainda queres dar o resto da felicidade que tens a ele? É mesmo isto que queres? Eu posso-te até deixar, mas não posso obrigar o meu coração a gostar de outro alguém.
Daniel- Carolina, ele é meu irmão.
Carolina- E este é o teu coração.
Pus-lhe a mão no peito.
Carolina- Pensa, se me queres dar assim, sem mais nem menos.
Fui-me embora.

Ps. Desculpem. Está um bocadinho grande, e fora. Mas estava com pouca imaginação.

8 comentários:

  1. eu gosto assim grande
    mas que confusão, esta lindo *-*, agora é que vai aquecer.

    ResponderEliminar
  2. Eu acho que está parte está muito bom, muito envolvente e é uma óptima forma de dar ainda mais chama à história. Adorei! Continua porque vais muito bem :)

    ResponderEliminar
  3. adoro as tuas histórias adooooooro querida :) continua!

    ResponderEliminar
  4. Tem toda a razão querida. Só os bons é que partem e os maus com a sua maldade cá permanecem!
    Estou a adorar a história :)

    ResponderEliminar
  5. Li a tua outra historia "amor descontrolado" e gostei bastante.

    Já estive a ler esta e também estou a gostar muito :) Quero continuar a ler!

    Sigo :D

    ResponderEliminar