19 de julho de 2011

amor descontrolado [Parte 19]


***


M- Hoje preciso mesmo da tua ajuda, que rezes por mim.
S- Não te vou ajudar, nem muito menos rezar por ti porque confio nas tuas capacidades, e sei que és capaz disto e de muito mais.
M- E o que é que lhe digo Soraia ?
S- Achas que o teu coração não tem coisas para lhe dizer ?
M- Tem muitas !
S- Então fecha a boca, e deixa o coração falar. Força. Acompanho-te até lá, e depois ficas por tua conta.
Fomos juntas. Escolhi ir a pé, porque precisava de pensar, ter certezas que estava preparada para o encarar.
S- Estás entregue. Vai lá, e não deixes nada para dizer. Quando saíres vou cá estar no mesmo sitio.
Sorri. Ainda não tinha chegado lá e já tinha as lágrimas á porta.
Toquei á campainha, e esperei que viesse alguém. Ouvi passos, e fiquei nervosa. Foi ele que me abriu a porta.
P- Mariana ?
M- O que te parece ?
P- Parece que já vivi esta história. Estava mesmo a imaginar que havia um dia, que me tocavas á campainha.
M- Então imaginaste bem. Achas que uma dor de coração é fácil de acalmar ? Ou um sentimento fácil de apagar ?
P- Eu sei que não. Mas é errado sentires algo por mim, é errado vermos-nos.
M- Então o que é certo ?
Ele puxou-me pelo braço para dentro de casa.
P- Certo, é estarmos juntos sem qualquer problema, podermos-nos beijar sem termos que nos esconder, abraçarmos-nos sem nos preocupar com ninguém. Mas as pessoas fazem das coisas certas erradas, e as coisas erradas certas.
M- Foste tu que fizeste com que isto se tornasse errado.
P- Não. Por mim ficaria contigo para sempre.
M- Então fica. Sossega o meu coração Pedro. E chama-me de Rainha de Sete Mares.
P- Aconteça o que acontecer, irás ser sempre a Rainha dos meus Sete Mares.
M- Pedro... pára de criar esperanças.
Ele abraçou-me como nunca tinha feito. Senti o meu ombro a ficar molhado, e as mãos dele a apertar-me cada vez mais.
P- Eu quero mesmo ficar contigo
M- Então porque não ficas ?
P- Porque não sei se te mereço.
M- Mereces o meu amor, o meu coração, e mereces-me a mim.
P- Desculpa tudo o que te fiz, juro que te vou fazer feliz. Juro por tudo rainha. O meu coração é todo teu.
M- Pena que seja um amor impossível de controlar.
P- Chama-se amor descontrolado princesa.
Beijou-me.

Ps. É o fim meus queridos. Fica aqui o fim da nossa história.Peço desculpa a quem a história não respondeu ás expectativas. Se quiserem, e tiverem imaginação para tal, dêem-me ideias para uma nova história. Um obrigado muito grande á Sara porque acompanhou desde a primeira parte, e claro um obrigado aos outros todos, porque foi por vocês que chegou até aqui :).

7 comentários:

  1. E foram felizes para sempre!
    Amei *.* *.*
    já estou a espera da nova, olha ja postei a próxima parte expereita.
    bjo

    ResponderEliminar
  2. Adorei mesmo a história *.* é envolvente, prende-nos desde que a começamos a ler. Estás de parabéns!

    ResponderEliminar
  3. Obrigada ainda bem que gostaste! Amei a tua história e estou triste por ter chegado ao fim, mas mal posso esperar pela próxima :)
    Beijinhos ♥

    ResponderEliminar