4 de julho de 2011

amor descontrolado [Parte 15]


Mariana
***


Estou farta disto. Eu gosto dele, e disso tenho a certeza. Mas as coisas mudaram, talvez a minha maneira de o ver. Já não olho para ele e vejo um princepe encantado, mas sim um rapaz que gosta de qualquer uma. Mas o sentimento não se muda, já eu... Eu mudei. Já não me mostro disponível a toda a hora, já não lhe dou atenção quando ele quer. Cansei de ser o segundo plano. Nem sei quantas vezes ele foi e veio. Já deixou o lugar dele tantas vezes vazio e feita estúpida continuei á espera que ele o ocupasse. Não sei que nome dar a esta relação que temos. Se é que se pode chamar de relação. O meu telemóvel toca. É o Pedro outra vez. Ainda não deve ter percebido que não vou ter com ele.
P- Estou. Não vens ter comigo porquê ? Estás ocupada com o quê ?
M- Mas és meu pai ou quê ? Que eu saiba já não falo com o meu pai há um bom tempo.
P- Deixa de te armar em parva, podes-me dizer o que estás a fazer ?
M- Pensando bem até não posso.
P- Vou passar em tua casa agora. Mas vou acompanhado. Tchau!
Foi desta que ele se passou. Agora já passa em minha casa quando quer. Arranjei-me para ele pensar que eu tinha acabado de chegar a casa. Talvez tenha demorado praí uns 40 minutos. Mais que isso não foi. Estava sozinha em casa. Oiço a campainha tocar.
Abro a porta e nem acredito no que estou a ver.


Pedro
***


Tinha ido a casa dela com a Leonor. Ia apresentá-la á minha namorada como a minha melhor amiga. Não gosto que gozem com a minha cara. Ela gozou, agora é a minha vez.
P- Amor, esta é a Mariana. A minha melhor amiga. Mariana, esta é a Leonor. Aquela rapariga que eu tanto te falo.
Ela nem falou, nem piscou os olhos. Ficou imóvel. A Leonor sorriu.
L- Olá Mariana. Já ouvi falar muito bem de ti. Sei que o Pedro está muita vez contigo. Espero que tomes bem conta dele na minha ausência.
M- Hm, pois.
L- Amor, a Mariana não é aquela rapariga que estava sempre a olhar naquela noite que fomos sair ?
P- Não amor. É impressão tua.
Beijei-a. Não podia deitar tudo a perder, numa altura em que estava a conseguir controlar tudo. Tinha as duas. Que mais poderia querer ?

14 comentários:

  1. Tanto a Mariana como o Pedro são o retrato fiel de muitos rapazes e raparigas, infelizmente :/
    Espero é que, ao longo desta história, a Mariana continue a mostrar-se indiferente e o Pedro aprenda alguma coisa. Fico à espera de ler a continuação :D

    ResponderEliminar
  2. Escrevas o que escreveres, tenho a certeza de que vai dar uma boa continuação :D não tens de agradecer

    ResponderEliminar
  3. Muito obrigada *.* é muito bom ler isso.
    Não acho que tenha um jeito extraordinário, mas é muito meu, escrevo com muita paixão e muito de mim porque realmente é algo que me completa, algo que gosto bastante de fazer :D
    Uma vez mais, obrigada, de coração

    ResponderEliminar
  4. Continuar a escrever é uma promessa de vida (: tenho sempre de agradecer a simpatia das palavras e a disponibilidade em ler

    ResponderEliminar
  5. não tens de agradecer;)
    bem agora fiquei mesmo surpreendida com a lata do Pedro, a Mariana que lhe mostre com quantos paus de fazem uma canoa. Esta demais, é viciante, continua Joana

    ResponderEliminar
  6. awww, obrigada :) estou a adorar a tua história *-* ! continua.

    ResponderEliminar