2 de maio de 2011

Amor descontrolado [Parte 2]


***


Cheguei a casa tão cansada que só pensava em ir dormir. Ainda tive que aturar as discussões da minha mãe. Gritava, esperneava, só faltava chorar.. Tudo porque cheguei um bocadinho mais tarde a casa, é sempre a mesma conversa. Depois de um grande banho para tirar todo o sal da pele, liguei o pc. E veio o Pedro falar-me. Estava á espera que ele tivesse mandado mensagem, é verdade, mas também não toquei no assunto. Se não mandou, é porque não lhe agradava. Falamos sobre tudo. Contou-me a relação toda dele. De trás para a frente, e de frente para trás. Já andavam há 4 anos, ela chamava-se Leonor. Contou-me como ela era implicativa, ciumenta, resmungona, controladora. Até fiquei a pensar se a rapariga não tinha qualidades. Também não interessa, só nesta pequena descrição já não gostava dela. Não por ele, mas sim por tanto defeito que ele tinha apontado. Ligámos a web, e tivemos ali tempos e tempos. Tinha um sorriso tão bonito, uns olhos tão brilhantes, e aquele cabelo. Meu deus, estava a ficar maluca. Decidi ir embora, que já se estava a fazer tarde.
Pouco tempo depois de me ter deitado, ele ligou-me. Tinha uma voz tão bonita, e eu toda envergonhada. E quando dava uma gargalhada, derretia-me toda. Não sei quem acabou por adormecer primeiro, mas sei que acordei no dia seguinte ainda com os phones do telémovel nos ouvidos, e já com uma mensagem dele.
" Bom dia, rainha de setes mares. Não durmas muito, que a tua mãe depois refila. Estou á espera da tua mensagem, beijo. "


Inventado, continua :)

3 comentários:

  1. É mesmo :b
    eheh

    Gostei, e o parte do " Bom dia, rainha de setes mares.", está mesmo fofaa *-*

    ResponderEliminar
  2. Continua, tu és uma óptima escritora (:

    ResponderEliminar