23 de abril de 2011

Que saudades ..


Assim que abri os olhos acendi um cigarro. Senti o frio que estava na atmosfera, vento e a chover. Lembrei-me de ti, e do preto das tuas roupas desde que a tua mãe tinha falecido. Olhei para o telemóvel para confirmar que não teria nenhuma mensagem tua. Confirmado, com muita pena minha. Hoje fazia-me mesmo falta aquelas mensagens de bom-dia. Já chegava para esboçar um sorriso. Mas somos meros amigos não é ? E os amigos não têm de passar o dia a falar, nem desejar bons-dias. Mas faz-me tanta falta. Sinto-me tão vazia. Se soubesses o quanto preciso de ti. M. és e sempre serás aquele . Não me importo de esperar, se tiver que ser. Se tiveres confuso, eu sento-me, e enquanto tu pensas o que queres, eu leio um livro, oiço uma música, penso na vida, e imagino como vai ser a nossa vida até ao último detalhe. Porque gosto de ti, como nunca gostei de ninguém. E um digo-te, e tu vais ficar atrapalhado sem saber o que me dizer. Amo-te

4 comentários: