5 de fevereiro de 2011

és tu

Vais ter que me desculpar por ser uma pessoa insegura, desconfiada, e ciumenta. Vais ter que me desculpar por gostar tanto de ti, ao ponto de te querer todo para mim. Vais ter que desculpar, e ter paciência. Sinto o porto, muitas vezes a tremer, o conforto a deixar-se cair, o bem-estar a ir-se embora, mas não quero que nada disso aconteça, mas também não consigo fazer nada para eles ficarem. Queria gostar, e apegar-me menos. Mas não dá. Os amassos, os beijos, os abraços, são mais fortes. As palavras bonitas, os beijinhos no pescoço, as mãos entrelaçadas. Os encostos ás paredes da escola, os sorrisos devolvidos, e as borboletas na barriga.
Antes de apareceres, prometi a mim mesma, guardar o meu coração, e tratar todas as feridas que ele já tinha colecionado até á altura, depois apareceste, e fizeste com que quebrasse essa tal promessa. Toda a tua história, as tuas confissões e os teus segredos, fragilizaram as minhas forças e eu caí na tentação. Gosto tanto de ti, mon amour .

3 comentários:

  1. Como eu te entendo.
    O amor tem dessas coisas, :). E até eu já fiz essa mesma promessa ahah.

    Sê feliz, beijinhos*

    ResponderEliminar