11 de dezembro de 2010

Desculpa.

Desculpa meu amor ! Desculpa pelas vezes que errei, pelas vezes que te deixei cair, pelas vezes que me queixei, pelas vezes que não te quis ouvir, pelas vezes que falei sem reparar que também tinhas a garganta cheia de coisas para me dizer. Fomos tudo, mas agora não somos nada. Não me culpo só a mim, mas sei que a maior culpada fui eu . Não te dei, o que tu mais precisavas, mas agora cada uma segue o seu caminho sem se preocupar com os problemas que a outra tem que enfretar. Não imaginas o quanto sinto a tua falta, o quanto sinto a falta da tua mão nos caminhos que fazíamos sempre até ao metro, o quanto sinto a falta das tuas palavras amorosas, que me conseguiam sempre fazer sorrir. Hoje, mudámos de companheira. Mudámos de vida. Mudámos de rotina. Mudámos de cheiro. Mudámos a gargalhada, o modo de falar, o modo de ouvir, e o modo de nos expressarmos. Agora para mim, és uma desconhecida, e eu o mesmo para ti. Ainda assim, quero que te lembres sempre de tudo, quando o fizeres com ela. Dos nossos primeiros cozinhados, as nossas primeiras trocas de roupa, as nossas conferências, as nossas vergonhas, os nossos problemas, os nossos caminhos, que fazíamos questão de os traçarmos sempre que podíamos. Lembra-te também dos dias 15 de Setembro, que foram quatro que passámos juntas.
Desculpa principalmente, por nunca ter-te pedido desculpa.

Sem comentários:

Enviar um comentário